Uma autoestima saudável incomoda muita gente…

Uma autoestima saudável e feminista incomoda, incomoda muito ma-ais…

Por Mayara Bitencourt

Às vezes acho que o que incomoda as pessoas não são os pelos do meu sovaco, o tamanho da minha barriga, minhas celulites aparentes, e nem mesmo o meu cabelo branco.

Acho que o que incomoda, mesmo, é o fato de nada disso me incomodar.

E me incomoda menos ainda a incomodação alheia. Não me incomoda as pessoas me apontarem o dedo e tecerem opiniões a meu respeito – opiniões, por sinal, que não lembro de ter jamais pedido. O que me incomoda é o fato as pessoas acharem que têm o direto de fazer isso. Meu peso sequer deveria ser pauta para uma roda de conversa. Se me depilo ou não, menos ainda.

Não deixo de comer nada que tenha vontade para conter o peso. Não deixo de me achar bonita (linda, maravilhosa, um espetáculo) por causa do meu cabelo branco ou mal-penteado, e tampouco me sinto “suja” (!) por manter meus pelos no lugar de onde eles vieram.

Eu não deveria, sei que não, mas peço desculpas pelo fato de o MEU corpo agredir vocês. Só peço que não se esqueçam, que o corpo é meu, e ele não deveria dizer respeito a vocês.

E sempre é bom lembrar: o corpo do outro, a vida do outro, a opinião do outro, não nos diz respeito.

 

Imagem: FEMMA Registros Fotográficos.

Comments

Comentários