Breve resumo do pensamento feminista sobre a ~inveja do pênis

Na teoria psicanalítica de Sigmund Freud, o “centro sexual feminino” deveria migrar do clitóris para a vagina, pois suas análises partiam do pressuposto de uma dualidade na forma como construímos sexualidades adultas.

O ‪#‎feminismo‬ rejeita a noção de que a sexualidade feminina só pode ser definida em relação à masculina, e acredita que é o clitóris, e não a vagina, o centro da sexualidade feminina adulta – que é independente do pênis.

Um número significativo de feministas criticam a teoria da inveja do pênis como um conceito (e não necessariamente a psicanálise como disciplina), argumentando que os pressupostos e abordagens do projeto psicanalítico são profundamente patriarcais, representando as mulheres como homens quebrados ou deficientes.

Karen Horney, psicanalista alemã que também colocou grande ênfase em experiências de infância na psicologia do desenvolvimento, era defensora deste ponto de vista, e chegou a propor o conceito de “inveja do útero”.

Clara Thompson, em seu influente artigo “Mulheres e inveja do pênis” (1943), reformulou o conceito como inveja social para as armadilhas do gênero dominante, o que foi uma resposta sociológica à subordinação feminina sob o patriarcado.

Betty Friedan se refere à inveja do pênis como um viés social, e mostrou como o conceito desempenhou um papel fundamental para que noções alternativas de feminilidade fossem desacreditadas. Ela diz: “Seguidores de Freud somente poderiam ver as mulheres na imagem definida por Freud: inferior, infantil, impotente, sem possibilidade de felicidade, a menos que ela se acostume a ser objeto passivo dos homens, que queriam ajudar as mulheres a se livrar de sua inveja reprimida, do seu desejo neurótico de ser igual eles.”

Um pequeno, mas influente número de filósofas feministas que trabalham com feminismo psicanalítico, incluindo Luce Irigaray, Julia Kristeva, e Hélène Cixous, usaram variadas análises pós-estruturalistas para analisar a questão, inspiradas, ou até mesmo sendo desafiadas, por pensadores como Jacques Lacan e Jacques Derrida.

Juliet Mitchell em seus trabalhos incipientes, tentou reconciliar os pensamentos de Freud sobre o desenvolvimento psicossexual com o feminismo e o marxismo, declarando que suas teorias são simplesmente observações de identidade de gênero sob o capitalismo.

Por Joanna Burigo

Comments

Comentários