Meu corpo não me define

Estou com essa frase na minha mente desde que uma amiga, em quem fiz uma maquiagem, me disse ao se ver no espelho “Fiquei linda, mas imagina se eu fosse magra…”. Esta amiga é maravilhosa, uma inspiração pra mim. Não preciso imaginá-la magra para constatar que ela é, além de linda, inteligente e justa.

“Meu corpo não me define”

Estou repetindo essa frase como mantra depois de ouvir, inúmeras vezes, de muitas mulheres diferentes, que elas precisam parar de comer, precisam ir pra academia, precisam entrar no jeans 36. Vocês precisam ser felizes, se for na academia, no bar, na pizzaria, não importa. Importante é se amar e ser feliz.

Digo isso porque no meu pós-parto (quando imaginava que minha barriga sumiria magicamente) eu me olhava pelada no espelho antes do banho e chorava, chorava, chorava. Hoje, tomando banho, me olhava e amava cada pedaço de mim. Cada pedaço da minha pele rasgada na barriga, nos seios, nas pernas. Amei cada parte de mim que se transformou para suportar o maior amor da minha vida.

Existem mil motivos para as pessoas estarem “acima do peso”. Mas acima de que peso? De um peso estabelecido por padrões estéticos? Muitas dessas pessoas “acima do peso” estão com o fígado bem melhor do que aqueles que tomam qualquer coisa que vá acelerar o emagrecimento ou dar mais gás pra malhar, por exemplo. (Não estou julgando quem toma suplementos, ou quem malha. Não é isso. Muito pelo contrário – aliás, meus parabéns a estas pessoas pela dedicação. De coração. Mas tem gente que simplesmente não consegue malhr e ser feliz. Por inúmeros motivos também. Então também não nos julgue.)

Passei a pensar no qunto sou uma pessoa melhor hoje. Mais responsável com meu trabalho, sempre buscando cursos novos e aprendizado. Não trabalho de ressaca. Invisto meu dinheiro no meu trabalho, ainda passo noites em claro mas é na função mãe, ainda me atraso às vezes mas na maioria é por causa de uma tetinha, foquei minha vida. Julgo-me uma pessoa muito melhor hoje, e me questiono por que já me lamentei tanto sobre meu corpo.

E sei que não sou a única.

Sei porque escuto mulheres todos os dias, e todas têm problemas com o espelho. Todas reclamam. Todas se comparam às magras, inclusive as magras, que se comparam com as mais magras ainda.

Umas tentam justificar “mas homem gosta de mulher que tem carne”. GENTE! Não é por eles, não é pra eles. É pra nós e por nós.

Nós precisamos urgentemente nos sentir bem com nossos corpos, respeitar nossa saúde, entender nossos limites. Sem querer cagar regra, se você é feliz na academia comendo coxinha fit, SEJA! Se quiser ficar bem forte, bem musculosa: FIQUE! Mas se você está na frente do espelho se odiando, ou comendo um doce qualquer com extrema culpa: PARE! E aprenda a se amar!

Talvez amanhã eu vá estar com as mesmas paranoias de sempre. Talvez vá me olhar no espelho e me odiar. Talvez alguém vá falar qualquer coisa e eu responda com “mas eu sou gorda né”.

Talvez. Amanhã.

Mas hoje estou aqui pedindo pra gente se amar. Porque é insuportável que, todos os dias, mulheres diferentes se culpem e gastem seu precioso tempo imaginando-se mais magras.

Por Marília Gabriela Furlan Bittencourt
Imagem destacada: daqui

Comments

Comentários