A Igreja e o Estupro

Não, não estou aqui pra fazer escárnio da fé de ninguém. Passei muitos anos dentro de uma Igreja e quero compartilhar o que eu aprendi e o que eu não aprendi lá.

Vivemos numa sociedade machista, misógina e patriarcal. Uma sociedade patriarcal é por essência machista e misógina. Uma coisa difícil de encontrar na Igreja é mulheres que saibam o significado da palavra misógina. É importante que todas as pessoas saibam o significado dessas palavras e o impacto que isso tem na nossa vida e como isso corrobora com a cultura do estupro.

A linguagem se compõe com vários elementos. Você pode falar algo nas entrelinhas e até com sua expressão corporal e facial. Tudo isso passa uma ideia. Algumas agem direto no nosso subconsciente.

Você já reparou quantas vezes a Igreja defendeu a estrutura patriarcal? Como eles nos convencem – ou tentam nos convencer – que isso é melhor pra gente? Que o marido vai cuidar da gente? Quantas vezes você já ouviu que a mulher deve ser submissa ao marido? Mansa e calma? Ouvir seus conselhos?

Vou tentar tirar essas ideias das entrelinhas e tentar faze-las soarem um pouco mais literais:

Marido cuidar de você = Você não é o suficiente pra cuidar de você mesma. Você é frágil e incapaz. O homem é mais forte que você. Você precisa do homem.

Mansa e calma = Ser submissa ao seu marido. Ouvir quieta. Não opinar. Te ditam o tipo de comportamento que você como mulher tem que ter.

Submissa = Ouvir quieta. Fazer sem questionar o que o seu marido quiser. Estar abaixo dele. O homem tem mais voz que você. O homem vale mais que você. A opinião do homem vale mais que a sua.

Agora vou tentar deixar um pouco mais explícito o que um homem aprende numa sociedade machista, misógina e patriarcal:

  1. Que a mulher é uma propriedade dele
  2. Que a mulher não pode questionar a autoridade dele
  3. Que a mulher tem que se dispor à vontade dele

A Igreja ensina isso de forma explícita? Algumas vezes sim, outras não. Muitas vezes fica nas entrelinhas. Sem dúvida seus ensinamentos ajudam a moldar esse tipo de comportamento nocivo.

Sabe outro nome que podemos dar a isso? Cultura do estupro.

Eu já li a Bíblia algumas vezes, e algumas coisas passavam batido até que um dia minha atenção foi para os seguintes pontos:

Por que Deus não incluiu nos 10 mandamentos “não estuprará”?
Por que Deus, ao invés de condenar a atitude violenta do estupro, condena o livre arbítrio de se relacionar com quem a pessoa quer?
Por que Deus falou a seus seguidores que eles podiam tomar as meninas virgens pra si? (Atitude que, na prática, dá permissão à eles de violentar meninas sem o consentimento delas…)

Nem quero entrar na questão se Deus existe ou não, se foi um homem que escreveu a Bíblia ou não. Quero chamar a atenção para os ensinamentos, que são machistas, misóginos e patriarcais.

Já começou a se incomodar? A gente pode passar boa parte do texto explorando como a Igreja ensina, literalmente ou nas entrelinhas de seu discurso, que o homem está acima da mulher.

Isso é uma estrutura patriarcal. Isso é uma estrutura machista. Isso é uma estrutura misógina.

Essas ideias ficam embutidas na cabeça dos jovens. A mulher aprende a aceitar a violência. O homem aprende que ele é superior à mulher.

Você precisa saber que você NÃO precisa ser submissa à homem nenhum. Que você pode cuidar de você mesma. Que a cultura do estupro faz parte da estrutura patriarcal e isso é um risco à nossa segurança todos os dias.

Por Patrícia Piorum
Imagem destacada: daqui

Comments

Comentários