Sobre virgindade e o falocentrismo

Minha primeira vez não foi consentida, aos 13 anos fui estuprada. Não sei o que doeu mais, talvez o trauma que decorre até os dias atuais.

Hoje, com muito mais conhecimento e poder cognitivo posso idealizar o que poderia ser um ótimo – ou maravilhoso – primeiro ato sexual em conjunto, afinal, concordemos que antes que isso ocorra é necessário muito toque em si mesma para que haja conhecimento próprio.

Se nossa sociedade já não estivesse tão contaminada pela ideia de que sexo é apenas falo e canal vaginal, toda primeira vez seria digna e memorável.

Beira o ridículo pensar que toda uma sociedade foi induzida a pensar a acreditar que a dor sentida pela penetração no primeiro ato deva ser considerada normal. Normal? Uma jovem não lubrificada ser corrompida bruscamente deve ser considerado normal? Mesmo havendo milhões de formas extremamente prazerosas visando o conforto da mulher, ainda assim, o foco da virgindade não é gozar. Em fato, a virgindade é um troféu masculino pelo prazer e supremacia do homem.

Se o prazer da mulher estivesse em jogo, mulheres receberiam sexo oral antes de qualquer penetração. Se o prazer feminino importasse, o clitóris não seria uma incógnita beirando triângulo das bermudas. Se, de fato, a virgindade não fosse apenas o mérito de um homem, nenhuma mulher sangraria em sua primeira vez.

Não há nada de errado em gostar de sexo, não há nada de errado em se importar com o próprio prazer e obedecer a sua libido. Errado é aceitar que um homem pode saber muito mais sobre virgindade que a própria mulher, errado é aceitar que “doer é normal” ou que “sangrar é normal” porque o homem disse isso para te convencer a não desistir de entregar sua virgindade a ele. Não importa se a noite foi uma bosta pra você, pra ele, o importante é ter penetrado – e a partir daqui nada mais importa além do gozo dele.

Nós, mulheres, sabemos o que nosso corpo quer e como ele quer. Fomos feitas para respondermos naturalmente ao nos sentirmos preparadas para a penetração, nos lubrificamos e isto impede qualquer dor ou incômodo.

“Meu pênis é grosso, arrombador”

Querido, nosso canal vaginal se estica gradualmente e o crânio de um recém nascido DESLIZA por onde a sua estrondosa Salsicha Sadia entra.

Guarda o salsichão pra você que ninguém precisa disso pra gozar, só você. (SÓ VOCÊ MESMO)

SE TOCA, GURIA! E se toca MUITO! <3

Por Luna Chantroine
Imagem destacada: daqui

Comments

Comentários