Sobre Mística e Sif, ou porque devemos nos incomodar com a FOX

Gosto muito de quadrinhos e filmes de super-heróis. Infelizmente não tenho tido o tempo que gostaria para me dedicar mais às histórias devido ao trabalho e ao tempo que dedico a militância. Porém, algo me fez voltar a esse mundo nos últimos dias.

A FOX lançou um banner de divulgação do X-Men: Apocalipse. No poster, Apocalipse, interpretado pelo ator Oscar Isaac, aparece segurando Mística, personagem interpretada por Jennifer Lawrence, pelo pescoço. O cartaz de divulgação gerou duras críticas, tanto do movimento feminista quanto da  atriz Rose McGowan – que chegou a publicar um texto em seu Facebook falando sobre o assunto.

t1Outdoor de divulgação

As críticas geraram inúmeras controvérsias, até mesmo dentro do feminismo. O blogueiro Rodrigo Constantino publicou um texto: Feministas enchem o saco até com cartaz de X-Men. Eu mesma, num primeiro momento não sabia muito bem o que pensar. Refleti se realmente não era uma crítica exagerada, afinal de contas, sabemos que a Mística é uma anti-heroína, que também luta contra homens.

t2Imagem: Facebook

Pensei que se tratava de  implicância com o tal do Constantino, afinal se ele pensa de um jeito eu automaticamente deveria pensar o contrário, certo? Não precisamos ser expert em HQ’s para saber que o papel que as mulheres ocupam nessas histórias teve mudanças relativamente recentes, nos filmes e principalmente na divulgação.

Um filme que gosto muito é Thor. Especialmente Thor 2 – O mundo sombrio. Jane, interpretada pela atriz Natalie Portman, é, sem dúvida, uma das personagens de quadrinhos e “namoradinha de super-herói” mais interessantes que há. Jane é uma cientista inteligentíssima, mas eu entendo perfeitamente que ela tenha que ser salva, afinal o que será de um mero ser humano perto dos Deuses, não é mesmo? Apesar de tudo, não podemos esquecer de Sif, interpretada pela atriz Jamie Alexande, a única mulher a lutar lado a lado com Thor e sua turma. Mesmo assim, se falarmos de representatividade podemos questionar: quantas meninas querem ser a Sif e quantas querem ser a Jane? O filme não se preocupa em retratar Sif com a riqueza que a personagem merece, porque sim, ela é muito mais que uma personagem antagônica.

t3Lady Sif e Jane

Mas Thainá, e o cartaz da Mística?

Sim, voltemos à Mistica.

Se todos buscamos representação e representatividade, por que as mulheres são sempre representadas dessa forma? Vi uma publicação no Facebook onde aparecem várias cenas de mulheres batendo em homens. Incrível que nenhuma delas foi campanha de divulgação. O que a FOX ganha sem qualquer contexto lançar uma campanha como essa?

Veja só, mesmo em histórias como o Batman X Superman e Guerra Civil, não há de perto campanhas de divulgação assim. Os cartazes dos filmes retratam lutas que acontecem de igual para igual entre os homens, sem qualquer violência explícita.

t4

t6

t7

t8

Já nos cartazes onde aparecem mulheres, elas são sempre retratadas de forma muito parecida. Todas estão sendo salvas ou protegidas pelo seu super-herói.

t9t10

t11

t12

O que isso tudo nos diz? Será que estamos exagerando com relação ao cartaz de divulgação da FOX? Ou será que de fato as representações das mulheres nos filmes de super-heróis têm que sofrer reflexões mais profundas sobre a violência simbólica de gênero retratada em cada imagem?

A base da violência são as estruturas que defendem a ideia de superioridade masculina, mantendo-a viva e favorecendo a manutenção dessa cultura que encontra na própria sociedade condições para sua disseminação. Isso se chama violência simbólica, refere-se aos constrangimentos morais que as representações sociais de gênero impõem. A questão é: por que os constrangimentos são sempre voltados a nosso gênero e não ao gênero oposto?

Pra quem cresceu buscando representatividade, é muito importante olhar com mais atenção para essas imagens. Quero que minha sobrinha, que está para nascer, tenha inspirações melhores do que eu tive quando criança. Quero que ela assista Thor e queira ser inteligente como a Jane, mas quero que ela queira muito mais ter a força e o poder da Sif, sem se achar secundária nas brincadeiras de super-heróis. Quero que ela assista  X-Men, mas não quero que ela olhe para a divulgação do filme e pense que essa é apenas a realidade das mulheres nos filmes e histórias em quadrinhos. Enquanto o Magneto quebra tudo no cartaz ao lado.

Não precisamos ver filmes sendo vendidos através da violência contra a mulher. Repito, um cartaz sem qualquer contexto como esse não reforça o poder que a personagem Mística de fato tem, e não é exagero. Faça uma busca na internet e logo você verá o que o sexismo tem a dizer sobre as mulheres nos filmes de super-heróis. Acho que os cartazes já contribuíram um pouco para a gente entender.

Por Thainá Battesini Teixeira

 

 

Comments

Comentários